A Metodologia 5S e a Gestão de TIC

A metodologia 5s é utilizada para melhorar a produtividade das pessoas e organizações. Foca na redução do tempo de acesso as coisas necessárias para o trabalho, na redução de despesas com materiais e equipamentos, na melhoria de qualidade de produtos e serviços e na satisfação das pessoas com o trabalho. O 5S pode ser aplicado em qualquer ambiente de trabalho, nos setores de serviços, manufatura e primário. Os 5S são: Seiri: Senso de Utilização; Seiton: Senso de ordenação; Seiso: Senso de limpeza; Seiketsu: Senso de saúde ou de limpeza organizada; Shitsuke: Senso de autodisciplina. Esse artigo discute o 5S dentro do contexto das organizações de TI e telecomunicações. Continue lendo “A Metodologia 5S e a Gestão de TIC”

A complexa alavancagem da tecnologia IoT no Brasil

A tecnologia de IoT é compreendida e acessível, literalmente, por todos. Desde crianças desenvolvendo robôs até a grande indústria implantando automação extrema. Existem pontos a melhorar, tais como segurança e definição de protocolos para diferentes setores econômicos para atender suas características de negócios. Tecnicamente, a evolução da tecnologia deve seguir seu caminho, assim tantas outras. Entretanto, o maior desafio é a implantação do negócio de IoT, que envolve vários fatores, como: regulamentação, infraestrutura, capacidade de absorção da tecnologia pelas empresas e pelo mercado consumidor. Para avaliar o impacto na economia e desenvolver o planejamento das ações é necessário conhecer o tamanho do mercado. Para isso, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, o BNDES e entidades privadas pesquisam e fazem projeções de mercado. O desenvolvimento de um ecossistema de IoT é complexo, pois envolve aspectos de infraestrutura e um forte jogo de interesses das empresas e do governo, tanto nos aspectos fiscais e regulatórios, entre outros. Continue lendo “A complexa alavancagem da tecnologia IoT no Brasil”

O desafio de construção de uma plataforma tecnológica

As empresas e comunidades de negócios, constantemente, são desafiadas a construir plataformas tecnológicas para aumentar a produtividade, reduzir custos e melhor a segurança da informação. As plataformas são compotas por diversas tecnologias, que muitas vezes estão em estágios diferentes de maturidade, colocando em risco a sua continuidade e aceitação pela comunidade. Se utilizarmos apenas tecnologias já consolidadas, no chamado platô da produtividade, corremos o risco da obsolescência rápida, porém teremos soluções confiáveis e mais baratas. Por outro lado, se adotarmos apenas tecnologias incipientes, quando apenas se fala e não existem resultados concretados de estabilidade e continuidade, corremos o risco do mercado rejeitar ou ser substituída por outra e teremos que redefinir a plataforma, gerando custos não projetados. Uma solução uma modular com funções especificas, independente da tecnologia, e combinar tecnologias em fase de aceitação e tecnologias no platô da produtividade. Outra solução é criar um startup para testar a efetividade da plataforma, aperfeiçoando-a ou saindo rápido para outra, minimizando os riscos e prejuízos. Continue lendo “O desafio de construção de uma plataforma tecnológica”