A complexa alavancagem da tecnologia IoT no Brasil

A tecnologia de IoT é compreendida e acessível, literalmente, por todos. Desde crianças desenvolvendo robôs até a grande indústria implantando automação extrema. Existem pontos a melhorar, tais como segurança e definição de protocolos para diferentes setores econômicos para atender suas características de negócios. Tecnicamente, a evolução da tecnologia deve seguir seu caminho, assim tantas outras. Entretanto, o maior desafio é a implantação do negócio de IoT, que envolve vários fatores, como: regulamentação, infraestrutura, capacidade de absorção da tecnologia pelas empresas e pelo mercado consumidor. Para avaliar o impacto na economia e desenvolver o planejamento das ações é necessário conhecer o tamanho do mercado. Para isso, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, o BNDES e entidades privadas pesquisam e fazem projeções de mercado. O desenvolvimento de um ecossistema de IoT é complexo, pois envolve aspectos de infraestrutura e um forte jogo de interesses das empresas e do governo, tanto nos aspectos fiscais e regulatórios, entre outros. Continue lendo “A complexa alavancagem da tecnologia IoT no Brasil”

Integração RFID e IoT

A área de logística está prestes a encarar um novo desafio tecnológico. Até agora, um dos grandes desafios era implantar dispositivos de rádio frequência (RFID) para rastrear e identificar mercadorias. Entretanto, no meio do processo de adoção em escala do RFID surge a tecnologia IoT (Internet of Things) que promete mais recursos e, consequentemente, mais melhorias no processo. A convivência de duas tecnologias exige a duplicação de dispositivos de aquisição de dados e roteamento remotos, podendo inibir a adoção da nova tecnologia. Uma das alternativas é conectar os leitores de RFID na Internet, passando a funcionar como um gateway dos dispositivos passivos de RFID e os dispositivos ativos de IoT.

Como toda adoção de uma nova tecnologia é necessário muito esforço e grandes empresas que apostem na nova tecnologia. Foi o caso do RFID que teve uma forte influência e apoio do  Walmart para alavancar o uso do RFID, recomendando fortemente que seus fornecedores adotassem a nova tecnologia.

No Brasil, um acordo entre o Ministério de Ciência e Tecnologia, a Receita Federal e as Secretarias Estaduais da Fazenda desenvolvem o projeto Brasil-ID para a adoção de um padrão único para rastreamento e identificação de mercadorias. O projeto prevê a instalação de leitores de RFID ao longo das estradas para identificar as mercadorias nos caminhões em movimento e selecionar quais devem ser inspecionados. Esse projeto, além de atender um requerimento do governo, oferece várias vantagens para o controle interno de mercadorias, uma comunicação mais ágil entre fornecedor e cliente e melhoria no processo logístico como um todo. O projeto já está implantado em alguns Estados, porém sem larga abrangência, o que pode ser uma vantagem para uma mudança de tecnologia.

Entretanto, o RFID tem limitações por ser um elemento passivo, embora existam dispositivos que tenha alguma capacidade de processamento e leitura de sensores. Os dispositivos de IoT, por outro lado, tem possibilidades infinitas por ser um dispositivo ativo, tanto na leitura de vários sensores como na parte de segurança. O protocolo de dados entre os dispositivos de RFID e os leitores não usam criptografia.

O desafio é encontrar uma forma de conviver as duas tecnologias e minimizar os custos da infraestrutura. Uma alternativa é utilizar os leitores de RFID como gateways e roteadores entre as redes RFID e IoT.

Com isso, os investimentos poderiam ser canalizados para a infraestrutura de IoT e começar a usufruir já de seus benefícios.

Antes de investir na expansão da sua rede de rádio frequência avalie o custo e benefícios da tecnologia de Internet of Things. Você apenas estará antecipando investimentos que deverão ser feitos no futuro com a vantagem de evitar investimentos em uma infraestrutura que será substituída com o tempo.