Além do BI

Informações gerenciais de eventos já ocorridos não são suficientes para sustentar a competitividade em mercados altamente competitivos. É necessário adotar modelos e ferramentas analíticas de simulação, previsão e otimização para aperfeiçoar as tomadas decisões. Esses modelos devem olhar para o futuro e prever o que irá acontecer. As ferramentas de BI (Business Intelligence) devem oferecer essas facilidades sob o risco de serem apenas ferramentas meramente estatísticas e fazer correlação de alguns eventos. Os sistemas integrados (ERP) oferecem informações operacionais dos processos que são analisados estatisticamente pelas ferramentas de BI. Essas ferramentas mostram tendências e impactos em outros processos em algumas simulações, porém a expectativa dos executivos é que façam mais para ajudá-los na identificação de novas oportunidades de negócios.

Foto de perfil de Eduardo Fagundes
Siga-nos

Eduardo Fagundes

Eduardo Fagundes é um empreendedor polivalente. Desenvolve projetos de P&D nas áreas de Big Data, Analytics, IoT e Inteligência Artificial para o setor de energia na Universidade Mackenzie (SP). Professor de Engenharia de Software no pós-graduação em Governança de TI da Universidade Mackenzie (SP), e de Estratégias de Negócios Sustentáveis no MBA da FIAP (SP). Desenvolveu e é tutor do curso online sobre Cidades Sustentáveis baseado na ISO 37.120, e coordena o fórum virtual sobre Cidades Inteligentes. Desenvolve projetos de eficiência energética e energia sustentável. Produz cursos online, aplica workshops de ideação, mentoring sobre tecnologias sustentáveis e projetos de inovação sustentável baseados no GRI (Global Reporting Initiative). Desenvolveu projetos na Alemanha, Argentina, Estados Unidos, Índia, Inglaterra e Itália. Fundou três startups.
Foto de perfil de Eduardo Fagundes
Siga-nos
Facebooktwittergoogle_pluslinkedin

Deixe uma resposta