Google Cloud Platform São Paulo, menor tempo de resposta e pagamentos em reais

A Google inaugurou em São Paulo, no dia 19 de setembro de 2017, a 13ª região da sua plataforma de Cloud Computing e a primeiro na América do Sul. A nova região traz, pelo menos duas vantagens: a primeira é o pagamento em reais; e, a segunda a redução do tempo de resposta em até 95%, segundo a Google. Para as empresas no Brasil, abre-se novas oportunidades de serviços e novas configurações de infraestrutura para suas operações de TI, como a construção de multicloud, ou Cloud Múltipla, usando diferentes provedores. Cada vez mais fica claro que manter data centers próprios não é uma boa solução para as empresas. Com a nova região da Google, aumentam as possibilidades técnicas, melhora o ambiente de competitividade e, espero, que reduzam os preços dos serviços.

Lançamento da Google Cloud Platform em São Paulo

A instalação de um GCP (Google Cloud Platform) em São Paulo integra o grande projeto da Google de ter presença global de sua infraestrutura de data centers. Na data do lançamento da GCP São Paulo, a Google tinha 13 regiões, 36 zonas, mais de 100 pontos de presença e uma rede global com mais de 100 mil quilômetros de cabos de fibra óptica, com investimento chegando a cerca de US$30 bilhões. Os usuários podem selecionar qual a melhor localização para suas aplicações, resolvendo desafios de tempos de respostas e contingencias, por exemplos.

Fazer pagamento dos serviços no Brasil significa uma redução considerável dos custos dos serviços, pois elimina a parcela do imposto de importação de serviço, que pode ultrapassar a 40% do valor no local da prestação do serviço. Segundo a Google, isto possibilita que seus serviços podem chegar a custar 60% menos que seus principais concorrentes.

Ter uma infraestrutura local permite projetar configurações hibridas de data centers, incluindo aplicações on-premise (software hospedado em data center locais) e aplicações na nuvem. Além disso, é possível trabalhar com multicloud (múltiplos data centers), distribuindo as aplicações e criando novas estratégias para planos de continuidade dos negócios.

Uma característica legal da GCP é que ela utiliza energia renovável, reduzindo as emissões de gases de efeito estufa no planeta.

Com todos esses movimentos do mercado de data centers fica claro que as empresas precisam repensar suas estratégias de infraestrutura de data centers e considerar, fortemente, a migração para o ambiente de nuvem.

Deixe uma resposta