O desafio da transição de tecnologias

Como as empresas e investidores podem enfrentar a transição de tecnologias nos seus negócios? Esse é o grande desafio do mercado. Quando a Internet ganhou relevância e projetou-se bilhões de acessos, várias empresas de telecomunicações investiram bilhões de dólares em cabos terrestres e submarinos para atender ao crescimento exponencial de demanda. Isso aconteceu, porém de forma mais lenta que o esperado. Consequência, várias empresas quebraram. Entretanto, a infraestrutura ficou e quem chegou depois, aproveitou e começou a ganhar dinheiro. Parece que o mesmo está acontecendo no mercado de energias renováveis. Ninguém tem dúvidas que no futuro as energias renováveis serão chaves para atender à crescente demanda por energia. Vários são os investimentos nessa área no mundo, entretanto, parece que o filme do setor de telecomunicações está repetindo. A SunEdison, uma valorizadíssima empresa do setor de energia renovável, com uma valorização de quase US$10 bilhões nas bolsas de valores, perdeu folego e suas ações caíram de US$32 na metade de 2015 para US$0,23 na primeira semana de maio de 2016. Em 21 de abril, a SunEdison declarou falência. O grande desafio é estabelecer um modelo de negócio robusto para enfrentar a transição de tecnologia.

Na minha opinião existem dois momentos para se ganhar dinheiro com novas tecnologias. O primeiro é quando as expectativas sobre uma determinada tecnologia estão em alta. Os investidores apostam em altos rendimentos e colocam dinheiro em startups na expectativa de grandes receitas e valorização das ações. O segundo momento, é quando a tecnologia está madura, aceita pelo mercado e seu uso é inserido nos processos das empresas.

O desafio é como passar de um momento para o outro. Parece que o Skype e da First Solar encontraram uma resposta para o desafio.

O Skype começou pequeno, sem publicidade e foi gradativamente ganhando adesões, sem estar no radar das grandes empresas do setor de telecomunicações. Quando as empresas já estabelecidas no mercado de telecomunicações perceberam, um novo modelo de negócios já estava consolidado no mercado e tiveram que correr atrás para manter seus negócios.

O exemplo da First Solar, que fornece painéis e desenvolve parques solares, é o mesmo do Skype. Estabeleceu uma estratégia de crescimento mais lento e vem mantendo sua dívida sob controle. Até agora tem se mostrado rentável. Em 2015, lucrou US$546 milhões, com um faturamento de US$3,6 bilhões.

Uma outra forma de fazer uma transição tecnológica é ter incentivos do governo, reduzindo impostos e oferecer crédito subsidiado. No Brasil, os governos, em suas três esferas, têm incentivado o mercado de energia renovável, com leilões especiais de venda de energia, com subsídios na aquisição de equipamentos e eliminação de taxas do setor de energia. Agora, é fundamental que a regras do jogo não sejam alteradas, para garantir que os planos de negócios se tornem viáveis, sem intervenção.

Mesmo com as frenéticas mudanças nos mercados e avanços tecnológicos, a expressão “devagar e sempre” ainda continua valendo.

Deixe uma resposta