Onde colocar a TI na estrutura organizacional?

A CTEEP, empresa que opera linhas de transmissão de alta tensão de energia, resolveu colocar a área de TI na estrutura organizacional de Operações, incluindo a parte corporativa. Ou seja, a OT (Operation Technology) absorveu a tradicional IT (Information Technology). Este fato, a princípio, nos leva a refletir onde é o melhor lugar da TI nas organizações. Entretanto, acredito que a pergunta certa é: “Como e quem deve gerenciar a tecnologia da informação nas organizações?

Aquele conceito que a TI automatiza processos está totalmente ultrapassada. Este conceito justificava a existência de uma área dedicada a desenvolver softwares e gerenciar a infraestrutura de TI. Atualmente, os artefatos de TI fazem parte dos negócios e como tal devem ser administrados pelas áreas de negócios.

O Scrum, metodologia ágil de desenvolvimento de software, já atribui a responsabilidade do desenvolvimento de softwares para a área de negócios, através do Product Owner. Uma equipe de Scrum, com autonomia e independência para desenvolver um software completo, pode, naturalmente, ficar debaixo das áreas de negócios. Diferente das metodologias tradicionais de desenvolvimento que focam o gerenciamento na equipe de TI.

As novas regras de terceirização devem alterar a organização das empresas (e seus modelos de gestão). Na minha opinião, os processos de outsourcing das áreas de negócios devem incluir os sistemas de informação. Obviamente, dentro de regras claras que assegurem a transição quando terminar os contratos.

Sou da opinião que as empresas devem apenas ficar com o desenvolvimento de software para novos modelos de negócios. O que for commodity (finanças, RH, logísticas, etc.) devem ser comprados e com baixíssima customização.

Minha visão é que as áreas de negócios devem absorver a gestão de TI, incluindo o desenvolvimento de software usando metodologias ágeis ou comprando softwares específicos, dentro ou fora dos contratos de outsourcing de negócios. Ligado ao COO (Chief Operating Officer) deve ficar o CTO (Chief Technology Officer) responsável pela infraestrutura de TI: Data Centers e demais artefatos de TI. Não recomendo que a função de CTO seja terceirizada. Devemos ter uma área que faça a orquestração dos serviços de TI, como multi-cloud, bases de dados, dispositivos remotos, entre outros, além de garantir os modelos de governança.

Nas startups, o CEO acumula o papel de CIO. Nada mais natural, pois os novos negócios são baseados em tecnologia. Além disso, os novos gestores de unidades de negócios devem conhecer tecnologia da informação, incluindo linguagens de programação e descrição de casos de uso. Imagino que brevemente a categoria “conhecimento de línguas” nos currículos incluirão UML, Python, R e outras, juntamente com inglês, espanhol e mandarim.

 

Deixe uma resposta