Uso de metodologias ágeis em grandes projetos interdependentes

Este post é uma reflexão. A complexidade e a dinâmica dos negócios exigem metodologias ágeis de desenvolvimento de produtos, incluindo softwares. Negócios e ideias são mutáveis no tempo e são necessários instrumentos que permitam mudanças rápidas sem causar impacto nos negócios. Na maioria das vezes, apenas projetos que estão conectados diretamente com os clientes são elegíveis para usar metodologias ágeis de desenvolvimento. Projetos com requisitos bem definidos e que requerem grandes investimentos devem usar metodologias que se caracterizam por fases bem definidas de desenvolvimento. Criar muitas dependências entre projetos com desenvolvimento ágil aumenta, dramaticamente, a complexidade de gerenciamento, assim como grandes equipes. O uso equivocado de metodologias de desenvolvimento pode acarretar no fracasso dos projetos.

Continue lendo “Uso de metodologias ágeis em grandes projetos interdependentes”

Um projeto de TI tem mais chances de falhar do que ter sucesso

É mais provável que o seu projeto de TI falhe do tenha sucesso do ponto de vista dos usuários. O sucesso pode ser medido de forma quantitativa de resultados esperados, tais como redução do orçamento de pessoal, redução do tempo de entrega de produtos ou redução de multas tributárias e trabalhistas. Entretanto, se o resultado for medido por pesquisa de satisfação dos usuários é provável que o resultado seja um desastre.

Várias pesquisas apontam a insatisfação dos usuários pelos novos sistemas implantados. Algumas pesquisa mostram que 7 entre 10 projetos de TI falham na percepção dos usuários. Quando maior for o projeto de TI maiores são as chances de fracasso.

Em 1995 uma pesquisa do Standish Group mostrava que 31,1% dos projetos de TI eram cancelados antes de serem concluídos e apenas 16,2% dos projetos de software eram concluídos dentro do prazo e orçamento.

Diante dessas estatísticas foram desenvolvidos metodologias e software de gerenciamento de projetos para minimizar os riscos de falha dos sistemas.

O RUP (Rational Unified Process) é um dos mais famosos processos de engenharia de software, criada pela Rational Software Corporation e, posteriormente, adquirida pela IBM. O RUP usa a abordagem de orientação por objetos e utiliza a notação UML (Unified Modeling Language) para mostrar os projetos em ação. O RUP é indicado para grandes projetos. A gestão de projetos recomendada pelo RUP é disciplinada, envolve tarefas e responsabilidades dentro de uma organização de desenvolvimento de software.

Existem outros métodos de desenvolvimento como os métodos ágeis com o XP-Extreme Programming, Scrum, FDD e outros.

Esses métodos ajudam a entregar projetos de software dentro dos requisitos acordados e dentro de prazos e orçamentos. Ou seja, do ponto de vista de resultados empresariais a metodologia assegura o sucesso. Entretanto, não garante a satisfação dos usuários.

A satisfação dos usuários é atingida se houver uma forte cooperação de todos nas definições das funcionalidades do software e da participação efetiva dos usuários na implantação.

Concluindo, o sucesso de implantação de software depende de um processo estruturado de desenvolvimento e da forte interação de todos os envolvidos nos processos que serão afetados.