Inovação sustentável: a revolução do consumo

O que difere os humanos de outros seres vivos é busca do “porquê” e a nossa imaginação. Entendendo as “coisas” somos capazes de imaginar novos cenários e quando conseguimos concretiza-los chamamos de progresso. A velocidade das descobertas e a nossa capacidade de implementar novos cenários vem crescendo rapidamente apoiadas pela tecnologia, entrando em uma espiral positiva. Ou seja, quanto mais tecnologia, mais descobrimos coisas, quanto mais coisas descobrimos, mais tecnologia desenvolvemos. Com isso erradicamos doenças que dizimavam milhões de pessoas, permitindo o prolongamento da vida com qualidade. Conseguimos produzir mais alimentos para reduzir a fome no mundo. Criamos mais artefatos para simplificar a vida e aumentar nosso conhecimento. Até os anos 80s do século passado, usamos apenas os “juros” que a natureza nos oferecia para melhorar nossa qualidade de vida. A partir deste ponto de ruptura, estamos consumindo o “capital” principal da natureza para suportar nosso progresso. Hoje somos mais de 7 bilhões de pessoas e a projeção é de 9 bilhões até 2050. O fato é que o atual modelo de vida da humanidade é insustentável. O conceito atual de progresso e riqueza pode levar ao fim da humanidade nas próximas décadas. Muitas pessoas estão descobrindo que sair do ciclo vicioso do consumismo traz mais satisfação, é mais barato e ajuda a proteger o planeta. Isto lança um novo desafio para os empreendedores, criar inovações sustentáveis. Continue lendo “Inovação sustentável: a revolução do consumo”

Facebooktwittergoogle_pluslinkedin

Insurtech: um novo promissor mercado

O significado do termo insurtech é referente a toda a inovação tecnológica desenhada para reduzir custos e aumentar a eficiência do setor de seguros. Uma empresa é chamada de insurtech quando aplica tecnologia para desenvolver modelos de negócios disruptivos, inspirados no conceito de fintechs. O mercado de seguros é bastante maduro para atender aos negócios atuais e existe enormes oportunidades para a inovação para atender os novos negócios que estão surgindo, como carros autônomos, redes de negócios usando blockchain como plataforma segura para troca de dados, novos sistemas proativos para prever sinistros em residências, uso de tecnologia IoT (Internet of Things) para monitoramento de transporte de cargas, entre outras. Continue lendo “Insurtech: um novo promissor mercado”

Facebooktwittergoogle_pluslinkedin

Empreendimentos adaptáveis as crises: o novo normal

Em países democráticos o direito individual a liberdade civil é fundamental. O jornalista tem o direito de divulgar um furo de reportagem. O juiz tem o direito de tornar público conteúdo de processos sensíveis que podem afetar o funcionamento das instituições. O comentarista político tem o direito de explorar uma notícia polêmica. O cidadão derrotado em suas ideias tem o direito de se reunir com outros para expressar sua opinião em passeatas e greves. O político tem o direito de mudar de posição conforme a conveniência. O funcionário público tem o direito de expressar sua opinião, mesmo que possa afetar o funcionamento das instituições pelas quais tenha o dever de defende-las. O investidor em bolsa de valores tem o direito de especular em situações de instabilidade econômica. O direito individual gera cenários políticos, econômicos e sociais imprevisíveis, criando ambientes de negócios instáveis. Neste contexto, os empresários têm o direito de tomar medidas de cautela, reduzindo e adiando investimentos, e criando negócios adaptáveis a cenários imprevisíveis. Continue lendo “Empreendimentos adaptáveis as crises: o novo normal”

Facebooktwittergoogle_pluslinkedin

Ataque do ransomware WannaCry deve aumentar as migrações para a nuvem

Em maio de 2017, um ataque global de grandes proporções do vírus ransomware WannaCry atingiu mais de 100.000 organizações em mais de 150 países deve acelerar a migração dos sistemas para a nuvem. No Brasil, a contagem inicial foi de 1.824 IPs brasileiros afetados. Durante as pesquisas sobre o malware, descobriu-se que havia um botnet, programas conectados à Internet que se comunicam entre si para executar tarefas, minerando criptomoedas agindo muito mais cedo, sem ninguém ter sido detectado. Como o WannaCry, esse ataque anterior desconhecido, usava uma invasão de codinome EternalBlue e um backdoor chamado DoublePulsar, os quais são ferramentas de hacking desenvolvidas pela NSA e vazadas em meados de abril por um grupo chamado Shadow Brokers. Este malware em vez de instalar um ransomware, instala um software de mineração de criptografia conhecido como Adylkuzz para efetuar remessas de cripmoedas, neste caso usando a moeda Monero que é anônima. As estatísticas iniciais sugerem que este ataque pode sido em maior escala do que o WannaCry. Este ataque desliga a rede SMB para prevenir novas infecções com outros malwares (incluindo o WannaCry) através da mesma vulnerabilidade, o que pode ter limitado a propagação do WannaCry. Continue lendo “Ataque do ransomware WannaCry deve aumentar as migrações para a nuvem”

Facebooktwittergoogle_pluslinkedin

Neuralink desenvolve interfaces cérebro-máquina para conectar computadores e seres humanos

A Neuralink é uma empresa americana de neurotecnologia, fundada por Elon Musk, que desenvolve interfaces cérebro-computador implantáveis (BCIs). A empresa pretende fazer dispositivos para tratar doenças cerebrais graves a curto prazo e, eventualmente, aperfeiçoar os seres humanos. Algumas tecnologias já estão consolidadas ou em estágios avançados de desenvolvimento, como comunicação via ondas cerebrais e inteligência artificial, importantes para esse desenvolvimento. O neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis, um dos principais especialistas mundiais em pesquisa neurais, é responsável, por exemplo, por experimentos com chimpanzés incorporando um terceiro braço virtual, onde os chimpanzés conseguem fazer ações simultâneas com os três braços. Sistemas de inteligência artificial são comuns atualmente e com evolução rápida. Usando tecnologias já existentes e novos desenvolvimentos a proposta da Neuralink é factível mais rápido do que podemos imaginar. Continue lendo “Neuralink desenvolve interfaces cérebro-máquina para conectar computadores e seres humanos”

Facebooktwittergoogle_pluslinkedin