O Outsourcing deve ser uma Estratégia de Negócios

O outsourcing não pode ser visto como uma ação isolada de redução de custos. O outsourcing deve ser parte da estratégia empresarial. Em mercados globalizados, altamente competitivos, as empresas devem atuar e desenvolver suas competências para seu objetivo fim. Atividades meio, não estratégicas, em princípio são eleitas para outsourcing. Como um Lego, as empresas montam e desmontam negócios na velocidade que o mercado exige. Manter estruturas internas especializadas em atividades meio que tenham pouca flexibilidade para mudanças tira a competitividade da empresa. As empresas devem manter seu portfólio de fornecedores sempre atualizado e avaliar, constantemente, as melhores alternativas de gestão de processos com seus parceiros. A escolha de um fornecedor de outsourcing deve ser feita de forma criteriosa e apoiada por uma metodologia compreendida por todos, incluindo fornecedores e pessoal da empresa. Dentro dessa perspectiva, o outsourcing é parte do processo que garante a eficiência dos processos da empresa e compartilha as responsabilidades pelo sucesso e pelos fracassos da operação. Como em todo projeto, existem mudanças ao longo do tempo e novos requerimentos são exigidos. Os fornecedores de outsourcing e os contratos de serviços devem ser flexíveis para acompanhar as mudanças de estratégias das empresas. O importante é que os projetos de outsourcing devem estar alinhados com o objetivo fim da empresa.

Infelizmente, existem muitos paradigmas na área de outsourcing: só serve para reduzir custos; os funcionários próprios sempre fazem um serviço melhor; os funcionários do fornecedor de outsourcing não são comprometidos com a empresa onde presta serviço; com o outsourcing o nível de serviço cai porque os funcionários não são qualificados e ganham pouco, etc. A prática mostra que, invariavelmente, onde existem problemas com o outsourcing a escolha da empresa foi equivocada para o tipo de serviço que ela se propôs a executar. Isso ocorre quando o fator determinante para a escolha da empresa foi o preço dos serviços. Preço baixo tem efeito no curto prazo e esconde gastos maiores. Por exemplo, se a empresa contrata uma fornecedor não qualificado o contratante terá que usar recursos internos para compensar a ineficiência do fornecedor, gerando no final do dia um custo maior que antes do outsourcing. Além de gerar uma enorme insatisfação entre os funcionários internos e longas e improdutivas reuniões com o fornecedor de outsourcing. Essas situações ocorrem devido a falta de uma estratégia da empresa para o outsourcing. Nesses casos os projetos de outsourcing são pontuais, sem sincronia com os processos operacionais e tem o objetivo apenas de redução do custo operacional da empresa.

Empresas que incorporam o outsourcing como estratégia de negócio alcançam excelentes resultados de produtividade e são flexíveis para enfrentar mudanças bruscas de cenários. O outsourcing para essas empresas é parte de seu DNA. Essas empresas possuem metodologias que sabem que preço competitivo é devido à eficiência da operação e não por negociação comercial. Um exemplo clássico desse tipo de empresa é a Nike, onde toda a operação é realizada por fornecedores de outsourcing.

Sumarizando, empresas que usam o outsourcing como estratégia de negócio são, na maioria das vezes, bem sucedidas. Empresas que enfrentam problemas com seus fornecedores de outsourcing, provavelmente, não fizeram uma boa avaliação dos fornecedores e as escolhas foram baseadas em preço. As empresas que tem o outsourcing como parte de seu DNA enfrentam melhor as mudanças bruscas de mercado. Preço baixo deve ser reflexo de eficiência operacional e não negociação comercial.

Deixe uma resposta