Troca de rótulos e MPLS

O primeiro problema do MPLS é onde pôr o rótulo. Tendo em vista que os pacotes IP não foram projetados para circuitos virtuais, não existe nenhum campo disponível para números de circuitos virtuais dentro do cabeçalho IP. Por essa razão, surgiu a necessidade de adicionar um novo cabeçalho MPLS antes do cabeçalho IP. Em uma linha de roteador para roteador e usando-se o PPP como protocolo de enquadramento, o formato do quadro, incluindo os cabeçalhos PPP, MPLS, IP e TCP, é semelhante a figura acima.

O cabeçalho MPLS genérico tem quatro campos, sendo o mais importante o campo Label, que contém o índice. O campo QoS indicia a classe de serviço. O campo S se relaciona ao empilhamento de vários rótulos em redes hierárquicas. Se ele alcançar 0 , o pacote será descartado. Esse recurso impede a entrada em loop infinito em caso de instabilidade de roteamento.

Como os cabeçalhos MPLS não fazem parte do pacote da camada de rede ou da camada do quadro da camada de enlace de dados, considera-se o MPLS em grande parte independente de ambas as camadas (ou considerá-lo como a camada 2,5).

 

Deixe uma resposta