LANs virtuais

Para oferecer mais flexibilidade as mudanças físicas de máquinas nas empresas, os fornecedores de redes começaram a buscar um meio de recompor a fiação dos edifícios inteiramente por software. O conceito resultante é chamado VLAN (Virtual LAN) e foi até mesmo padronizado pelo comitê 802.

As VLANs se baseiam em switches especialmente projetados para reconhecer VLANs, embora também possam ter alguns hubs na periferia. Para configura uma rede baseada em VLAN, o administrador da rede decide quantas VLANs haverá, quais computadores estarão em cada VLAN e qual será o nome de cada VLAN. Em alguns casos para facilitar a identificação das VLANs os projetistas utilizam cores diferentes para cada uma.

Como exemplo, considere as quatro LANs da figura (a), em que oito das máquinas pertencem à VLAN G (em cinza) e sete pertencem à VLAN W (branca). As quatro LANs físicas estão conectadas por duas pontes, B1 e B2. Se fosse usada criação de par trançado centralizada, também poderia haver quadro hubs (não mostrados) mas, logicamente, um cabo multiponto e um hub são idênticos. Um diagrama desse tipo torna a figura um pouco menos confusa. Além disso, o termo “ponte” tende a ser usado hoje principalmente quando existem várias máquinas em cada porta, como nessa figura; porém, em caso contrário, os termos “ponte” e “switch” são essencialmente intercambiáveis. A figura (b) mostra as mesmas máquinas e as mesmas VLANs usando switches com um único computador em cada porta.

 

Deixe uma resposta