Repetidores, hubs, bridges, switches e gateways (II)

Examinando os dispositivos de comutação e ver como eles se relacionam aos pacote e quadros. Na parte inferior, na camada física, encontramos os repetidores. Em seguida temos os hubs. Um hub tem várias linhas de entrada que ele conecta eletricamente. Os quadros que chegam em quaisquer dessas linhas são enviados a todas as outras. A figura (a) mostra a topologia de conexão de um hub.

Na camada de enlace de dados temos as pontes e switches. Uma ponte conecta duas ou mais LANs, como mostra a figura (b). Quando um quadro chega, o software da ponte extrai o endereço de destino do cabeçalho de quadro e examina uma tabela, com a finalidade de verificar para onde deve enviar o quadro. Como um hub, uma ponte moderna tem placas de extensão, em geral para quatro ou oito linhas de entrada de um certo tipo.

Os switches são semelhantes as pontes pelo fato de ambos basearem o roteamento em endereços de quadro. A principal diferença é que um switch é usado com maior freqüência para conectar computadores individuais, como mostra a figura ( c). Como conseqüência, quando o host A da figura (b) quer enviar um quadro para o host B, a ponte recebe o quadro, mas simplesmente o descarta. Em contraste, na figura ( c), o switch deve encaminhar ativamente o quadro de A até B, porque não há outro caminho que o quadro possa seguir. Tendo em vista que cada cada porta do switch normalmente se conecta a um único computador, os switches precisam ter espaço para muito mais placas de extensão do que as pontes destinadas a conectar apenas LANs.

 

Deixe uma resposta