Multiplexação por divisão de tempo (III)

Slide6

A multiplexação por divisão de tempo permite que várias portadoras T1/E1 sejam multiplexadas em portadoras de ordem mais alta. A figura mostra como isso pode ser feito. À esquerda, vemos quatro canais T1 sendo multiplexados em um canal T2. A multiplexação T2 e acima dele é feita bit a bit, em vez de ser realizada byte a byte com os 24 canais de voz que constituem um quadro T1. Quatro fluxos T1 a uma velocidade de 1,544 Mbps deveriam gerar 6,176 Mbps, mas T2 na verdade tem 6,312 Mbps. Os extras são usados para enquadramento e recuperação, no caso de a portadora apresentar alguma falha. T1 e T3 são extensamente utilizados pelos clientes, enquanto T2 e T4 são usados apenas dentro do sistema de telefonia propriamente dito, e portanto não são bem conhecidos.

 

Deixe uma resposta