CDMA

Um canal CDMA costuma ser comparado com o saguão de espera de um aeroporto, no qual se encontram muitas pessoas falando idiomas diferentes. Por compreender apenas um idioma, cada ouvinte é capaz de se concentrar em sua própria conversação e considerar o restante como ruído aleatório. A analogia não é exata, pois, quando um ambiente está cheio de pessoas e todas falam ao mesmo tempo, a tendência é de as pessoas cada vez falarem mais alto. Todos acabam tentando gritar mais alto do que o ruído de fundo, o que apenas agrava o problema.

No CDMA, cada tempo de duração de um bit é subdividido em m intervalos curtos, denominados chips. Normalmente, existem 64 ou 128 chips por bit mas, no exemplo apresentado será utilizado 8 chips/bits por simplicidade.

A cada estação é atribuído um código de m bits exclusivo chamado ‘seqüência de chips’. Para transmitir um bit 1, cada estação envia sua seqüência de chips. Para transmitir um bit 0, envia o complemento de 1 dessa seqüência. Não são permitidos quaisquer outros padrões. Assim, para m=8, se a estação A receber a atribuição da seqüência de chip 00011011, ela transmitirá um bit 1 ao enviar 00011011, e um bit 0 ao enviar 11100100.

Para fins pedagógicos, é mais conveniente usar uma notação bipolar, com o 0 binário sendo –1 e o 1 binário sendo +1. Serão apresentadas as seqüências de chips entre parêntese; portanto, um bit 1 para a estação A agora se torna (-1-1-1+1+1-1+1+1). Na figura são apresentadas as seqüências de chips binárias atribuídas a quatro exemplos de estações. Cada estação tem sua própria seqüência exclusiva de chips.

Todas as tecnologias celulares CDMA usam o tipo DSSS. O padrão original da Qualcomm tem largura de banda de 1,25 MHZ.  O DSSS (Direct Sequence Spread Spectrum) cobre um intervalo bastante amplo de freqüências, transmitindo em todas ao mesmo tempo. Isso significa que a largura de banda necessária é muito alta, normalmente na ordem de megahertz no lugar de kilohertz.

 

Deixe uma resposta