EDGE

O EDGE está relacionado ao aumento da capacidade de transmissão da interface aérea no corrente padrão GSM. A principal ideia é adicionar novas características na rede GSM mantendo compatibilidade com os telefones celulares GSM /GPRS e com os equipamentos da rede (BSS, BSC, TRAU, MSC, SGSN e GGSN).

Todos os blocos da rede GSM/ GPRS continuam operando, sendo necessário atualizar os softwares das BTS para possibilitar o funcionamento das modulações GMSK e 8PSK, além da troca da placa PCU por uma placa EPCU na BSC que também sofre atualização de software.

O EDGE inclui tanto comutação por circuitos (ECSD – “Enhanced Circuit Switched Data”) como comutação por pacotes (EGPRS – “Enhanced General Packet Radio Service”).

EDGE = EGPRS + ECSD.

Na realidade a comutação por circuito passou a ser visualizada como um recurso desnecessário em uma rede que apresenta comutação por pacotes, pois além de utilizar os recursos da rede destinados para voz, a comutação por circuitos, apresenta tarifação por tempo, reduzindo sua aplicação para pequenos serviços que não necessitam um grande tempo de conexão. Logo, podemos perceber um esquecimento forçado pelo mercado da parte ECSD, sendo somente representado o aumento da capacidade do GPRS, ou seja, EGPRS.

A primeira alteração que deve ser destacada é a modulação do sistema, pois como vimos nos itens anteriores o sistema GSM era baseado na modulação GMSK (1 bit / símbolo) e no EDGE vamos observar a utilização do 8PSK (3 bit / símbolo), possibilitando triplicar a taxa de transmissão de dados .

Com o aumento da quantidade de bits por símbolo, disponibilizada pela modulação 8PSK, foi possível colocar três vezes mais informações no mesmo canal de rádio frequência (200KHz) usado pelo sistema GSM / GPRS, ou seja, para cada três “timeslots” usados anteriormente passamos a compactar a informação em apenas um “timeslot”.

 

Deixe uma resposta