Protocolo ALOHA

O Protocolo que deu origem ao 802.3 é conhecido como ALOHA (palavra havaiana que significa “hello”). O ALOHA permite que qualquer computador transmita em um dado momento, mas estabelece que cada computador deve adicionar um checksum no fim de sua transmissão para permitir que o(s) receptores(s) identifiquem se o frame foi corretamente recebido.

O ALOHA é portanto um melhor serviço, e não garante que o frame de dados chegue ao recipiente remoto sem estar corrompido. Uma rede ALOHA somente trabalha bem quando o meio tem uma baixa utilização, tendo consequentemente  uma baixa probabilidade de colisão e uma menor probabilidade de que os dados estejam corrompidos. Existem dois tipos de protocolo ALOHA: Pure ALOHA e Slotted ALOHA.

1. Protocolo Aloha Puro (Pure Aloha)

Com Aloha puro, é permitido às estações acessar o canal sempre que tiverem dados a transmitir. Cada estação deve monitorar sua transmissão no broadcast ou esperar um reconhecimento da estação de destino. Comparando o pacote transmitido com o pacote recebido ou pela falta de um reconhecimento, a estação transmissora pode determinar o sucesso do pacote transmitido. Se a transmissão for mal sucedida ocorrerá uma retransmissão após uma quantidade aleatória de tempo para reduzir a probabilidade de uma nova colisão.

Vantagens:

– Superior a atribuição fixa quando houver um grande número de estações bursty.
– Adapta-se ao número variado de estações.

Desvantagens:

– Throughput Máximo (teórico) de 18,4%.
– Requer buffers enfileirados para a retransmissão dos pacotes.

 

Deixe uma resposta