Refrigeração adequada de data center é fator crítico para alta disponibilidade

Por mais importante que seja a operação dos data centers para as empresas e de todas as medidas de prevenção contra graves incidentes, eles sempre ocorrem. Em outubro de 2011, a RIM, fornecedora do Blackberry, deixou milhões de usuários sem serviço de dados no mundo inteiro por dois dias por problemas de infraestrutura do data center. A RIM ofereceu US$100 em compras de software para ressarcir os prejuízos dos usuários. Embora a culpa seja atribuída a um switch de rede, sabemos que o problema foi da equipe de projetou a contingência. Quem opera data centers deve estar atento a todos os detalhes da infraestrutura para evitar paralisações. Como na aviação, um grave acidente é resultado de várias pequenas falhas. A correta avaliação de risco é fundamental para mitigar problemas e evitar investimentos desnecessários. Felizmente, os fornecedores de soluções para data centers estão desenvolvendo novas tecnologias, mais eficientes e ambientalmente sustentáveis. Entre essas soluções estão os novos projetos de refrigeração para data centers.

A ASHRAE, American Society of Heating, Refrigerating and Air-Conditioning Engineers, desenvolve recomendações para a refrigeração de data centers que ajudam no aumento da disponibilidade das operações e não viola as especificações de garantia dos equipamentos instalados. Em 2008, a ASHRAE alterou a TC 9.9 da faixa de temperatura de 20°C a 25°C para 18°C a 27°C sem alterar os requerimentos de garantia.

Para entender, a ASHRAE define seis classes de data centers (A1, A2, A3, A4, B e C) e especifica os intervalos de temperatura baseados em umidade e temperatura, medidas em diferentes circunstâncias. Essas medidas são plotadas em um gráfico psicrométrico, o intervalo recomendado é chamado de envelope.  As medidas de ambiente são obtidas através de um aparelho chamado psicrômetro constituído por dois termômetros idênticos colocados um ao lado do outro, que serve para avaliar a quantidade de vapor de água contido no ar. A diferença entre os dois termômetros é que um deles trabalha com o bulbo seco e o outro com o bulbo úmido. Esse dispositivo determina o ponto de orvalho e a umidade relativa do ar.

As classes de data centers definidas pela ASHRAE para controle ambiental são:

  • A1 – para data centers com servidores corporativos e produtos de armazenamento;
  • A2/A3/A4 – para data centers com grande volume de servidores, produtos de armazenamento, computadores pessoais e workstations. A diferença entre as classes está nas especificações de temperatura e umidade em função dos equipamentos instalados e requerimentos de disponibilidade;
  • B – para escritórios com computadores pessoais, workstations, laptops e impressoras;
  • C – para ponto de vendas onde não existe nenhum tipo de controle de temperatura e umidade.

A seguir são apresentadas a tabela e o gráfico psicrométrico das novas especificações para ambientes das recomendações da ASHRAE.

tabela_ashrae_equipment_environment_specifications

 

grafico_psychrometric_ashrae

 

 

Uma resposta para “Refrigeração adequada de data center é fator crítico para alta disponibilidade”

  1. Algo de extrema importância eu que muitas vezes é esquecido, é o monitoramento contínuo das condições ambientais do datacenter.
    Através do monitoramento, registro e notificação, é possivel determinar tendências e prever paradas não programadas de forma bastante precisa e antecipada.
    Todo datacenter é critico, não importa o tamanho.
    http://eliteacs.com.br

Deixe uma resposta