O Capital Espiritual dominará os negócios no futuro

O capitalismo não é sustentável. O pensamento capitalista, onde o dinheiro é o objetivo das conquistas pessoais está, literalmente, está se autoconsumindo. Imagine, com o Rei Midas, que você deseja-se transformar em ouro tudo que tocasse. Em pouco tempo você morreria, porque todo o alimento que tocasse viraria ouro. De uma certa forma isso acontece com o pensamento capitalista, tudo que enxergamos buscamos uma oportunidade para ganhar dinheiro, mesmo que isso signifique destruir a natureza e tornar o planeta inabitável. Isso inibe algumas questões fundamentais dos seres humanos. Afinal, você nasceu apenas para buscar incessantemente dinheiro? Esse é o seu propósito como ser humano? Felizmente, parece que as novas gerações estão questionando essa atitude pouco racional.

Hoje, valorizamos o QI (Coeficiente de Inteligência) e a EQ (Inteligência Emocional) para produzir mais riqueza para as empresas. Entretanto, teremos que investir no Capital Espiritual para enfrentar os novos desafios da humanidade e dos negócios.

Veja alguns sinais que confirmam que a forma de fazer negócios hoje é insustentável:

  • Os recursos são finitos. O consumismo e o desperdício estão presentes no nosso cotidiano. Trocamos de celular a cada novo lançamento de um equipamento melhor. Gastamos em itens supérfluos para ter sensação instantâneas de prazer. Enfim, fazemos muitas coisas sem pensar que os recursos são finitos (assim como o uso irracional do cartão de crédito).
  • Destruição do planeta. Mesmo com as evidências das mudanças climáticas, muitos não estão dispostos a mudar seus hábitos. Continuam a usar gasolina ao invés de etanol por economia ou desempenho do carro, além de sequer cogitar substituir o carro pelo transporte coletivo. As empresas para serem mais competitivas continuam adotando processos e materiais que a natureza não consegue repor em períodos que ofereça sustentabilidade ao planeta.
  • Desigualdade social. Depois da crise economia de 2008, 44% dos ricos acumularam mais riqueza, chegando ao ponto que 62 pessoas têm riqueza equivalente a 3,5 bilhões de pobres no mundo. O capitalismo usando intensivamente a tecnologia está tornando os ricos mais ricos e os pobres mais pobres. O limite será que as empresas não terão para quem vender no futuro. Isso é ruim para todos.
  • Crise de liderança. Fazer mais dinheiro não é uma atitude de liderança e inspiração para outras pessoas. O que distingue um líder é seu propósito com a sociedade. A história mostra que grandes líderes tiveram uma causa maior do que dinheiro. Bill Gates hoje lidera iniciativas para erradicar a pobreza e doenças, agora assumiu a liderança para mitigar as mudanças climáticas.
  • Pensamento de curto-prazo. Atingir a meta é o pensamento central de muitos de nós. As vezes acordamos a noite com pensamentos perturbadores. Pensar no curto-prazo pode armar bombas-relógio para problemas seríssimos no futuro. O pensamento tem que ser holístico e contemplando o longo-prazo.
  • O fator humano é negligenciado. O pensamento capitalista gera estresse e exaustão para seus seguidores. Vender a qualquer preço pouco se importando com o cliente. Colocar os negócios na frente da família com a suposta alegação que faz isso por eles, esquecendo o que os filhos desejam é o carinho e presença dos pais.

Espero que você concorde comigo que essa situação é insustentável. Temos que investir no nosso Capital Espiritual. Não estou falando em religião. Estou falando em revistar os princípios fundamentais da nossa existência como indivíduos. Que as empresas reconheçam e criem oportunidades para seus líderes e empregados desenvolverem seu capital espiritual e, consequentemente, que a empresa agregue esse capital na sua cultura.

Algumas sugestões para o desenvolvimento do seu Capital Espiritual:

  • Comece com o autoconhecimento. Encontre o real propósito nessa existência. A meditação é excelente pratica para encontrar essa resposta.
  • A partir de seu propósito crie uma visão de futuro e aja para concretizar essa visão através de atitudes e valores superiores.
  • Seja espontâneo. O desapego por sistemas rígidos de comportamento alivia o estresse e permite ampliar e estimular novos relacionamentos.
  • Busque sempre uma visão holística. Evite enxergar as coisas apenas por uma única visão de mundo, amplie a visão interagindo com outras pessoas e lendo literatura séria.
  • Tenha compaixão com o próximo. Não enxergue o próximo apenas como um agente econômico que possa te trazer lucro de alguma forma. Enxergue como uma pessoa que possa contribuir com o seu desenvolvimento.
  • Celebre a diversidade. Busque novas experiências para o desenvolvimento pessoal através do aprendizado de outras culturas e formas de pensar.
  • Não seja um boi da boiada. Assuma suas posições e defenda-as. Isso fará diferença.
  • Sempre pergunte “porque? ”. Você sentirá muito mais prazer em fazer ou comprar algo.
  • Reformule sua vida. Adote hábitos sustentáveis. Interaja com novas pessoas. Tenha gratidão. Sorria mais.
  • Desenvolva sua capacidade de resiliência. Não pense que é fácil mudar. Você encontrará muita resistência e pessoas que procurarão convencê-lo do contrário. Seja forte e siga em frente.

Caso você seja um capitalismo fervoroso e acredite que os negócios e pessoas são apenas movidas apenas pelo dinheiro aí vai um argumento para convence-lo a desenvolver seu Capital Espiritual: os consumidores estão cada vez mais valorizando os propósitos das empresas e o capital espiritual será fundamental para conquistar mais clientes e, consequentemente, mais dinheiro.

Marcações: