A inovação está na simplicidade

Olhe a sua volta e observe quantas coisas sofisticadas nos cercam. São computadores, smartphones, tablets, televisores conectados na Internet que respondem aos nossos gestos, relógios que tiram fotos e medem nossa pressão arterial e batimentos cardíacos entre outros. Isso pode sugerir que uma inovação deve ser tão ou mais sofisticada do que esses artefatos que nos cercam. Pensando assim podemos perder grandes oportunidades, pois muitas vezes a inovação está em coisas simples que facilitam a vida das pessoas.

Veja a origem dos restaurantes McDonald’s nos Estados Unidos em 1948. Os irmãos Richard e Maurice eram proprietários de um drive-in e resolveram mudar de ramo porque o negócio não atraia mais as famílias que consumiam alimentos e bebidas devido à grande concentração de jovens que ocupavam o espaço sem consumir.

Fizeram mudanças radicais nas práticas dos restaurantes da época. Entre elas, reduziram o cardápio para apenas 9 itens para facilitar a escolha dos clientes. Eliminaram os pratos e talheres e entregavam os produtos em sacos de papel. Com isso conseguiram reduzir o número de empregados.

A redução dos custos foi repassada para os clientes, chegando a reduzir o preço de alguns itens em até 50%. Simples. O cliente chega, escolhe rapidamente o item, paga, recebe em menos de um minuto e vai embora.

No mundo da tecnologia, um dos exemplos de simplicidade é o iPod idealizado por Steve Jobs. Um equipamento controlado por apenas um botão.

Agora observe novamente e veja que apesar de sofisticadas as coisas estão cada vez mais simples de se usar. A maioria dos softwares que utilizamos não precisam de manual de instrução, seu uso é intuitivo. Quanto mais simples, maior será o número de pessoas aptas a utilizar o produto.

Concluindo, um dos maiores desafios da inovação é a busca da simplicidade.

Marcações:

Deixe uma resposta