Cloud Storage uma solução prática e confiável para arquivamento de dados

Serviços de armazenagem de dados remoto administrados por uma empresa especializada não é um negócio novo. O primeiro serviço que utilizei foi a digitalização e guarda de notas fiscais de um fornecedor fora da empresa. Lembro que algumas notas fiscais tinham que ser, literalmente, passadas com ferro antes de serem digitalizadas. Depois era atribuído uma identificação para a imagem para ser indexada no sistema para facilitar a recuperação. Esse serviço aumentou significativamente a produtividade da área de contas a pagar, solução de problemas, organização e redução de espaço físico na empresa. Atualmente, as notas fiscais eletrônicas substituíram o papel e parte das informações estão armazenadas nos computadores das secretarias de fazenda dos Estados.

O desafio atual é como gerenciar os terabytes de informações das empresas. A solução mais simplista é comprar mais storage, com a ilusão que é barato. Esquece-se que o custo de administração dos dados e o risco de perda é alto, sem contar com a necessidade de investimentos (CAPEX) para atualização da infraestrutura tecnológica. Empresas que armazenavam dados em fita magnética em rolo tiveram que migrar os dados para novas mídias para aposentar as antigas leitoras de fitas. Isso sem contar que, alegando questões de segurança, o pessoal operacional costuma utilizar entre 30% e 40% do espaço disponível.

Com as novas tecnologias de aquisição de dados usando Internet of Things, redes sociais e aplicações móveis o volume de dados tem crescido exponencialmente. Esses dados são utilizados por sistemas Big Data que usam variedade de dados e que requerem velocidade de acesso.

A gestão do armazenamento de dados deve seguir os princípios do ciclo de vida da informação. Os dados devem ser armazenados em mídias que atendam aos requisitos de desempenho, disponibilidade e recuperação. Obviamente, quanto melhor o desempenho e disponibilidade maior o custo de armazenamento. Desta forma, classificamos os ambientes de armazenado por camadas (Tiers).

  • TIER 0 – Armazenamento em memória flash. Altíssimo desempenho, indicado para aplicações de missão crítica que necessitam de alta qualidade de serviço (QoS – Quality of Services);
  • TIER 1 – Alto desempenho e disponibilidade. Utilização de subsistemas de disco de alto desempenho com a manutenção dos objetivos de QoS;
  • TIER 2 – Médio desempenho e disponibilidade. Indicado para aplicações que não sejam de missão crítica;
  • TIER 3 – Baixo desempenho e disponibilidade. Indicado para aplicações que não sejam de missão crítica e de baixo impacto operacional;
  • TIER 4 – Indicado para arquivamento, longos períodos de retenção e backup.

Em uma organização podemos assumir que os dados estão distribuídos da seguinte forma:

  • TIER 0: 1 – 5%
  • TIER 1: 15-20%
  • TIER 2: 20-25%
  • TIER 3: 50-60%

Alguns dados podem migrar de um tier para outro antes de serem arquivados. Por exemplo, dados que são utilizados em transações eletrônicas de missão crítica que requerem QoS de Tier 0, depois podem migrar para Tier 2 para uso em sistemas de análise estatística.

Uma boa gestão de dados mantém ambientes distintos e administráveis para o armazenamento e movimentação dos dados. São necessárias ferramentas, processos e tecnologias de hardware e software, incluindo: virtualização, serviços de catálogo com políticas de negócios e fluxos automáticos para movimentação de dados.

O Cloud Services é uma solução simples e prática para arquivamento remoto, retenção e backup de dados. Além da vantagem da redução dos investimentos em sistemas de armazenamento (crescimento e upgrade tecnológico), simplifica a gestão da gestão de dados, permitindo que o pessoal interno foque nos dados que são realmente importantes para a operação da empresa.  Esse serviço já está incluindo no modelo de Cloud Computing.

Deixe uma resposta