Estratégia de TI para Negócios Disruptivos

Uma pergunta recorrente é como as organizações de TI podem agregar valor ao negócio. Uma contribuição é garantir controles eficientes dos processos de negócios. Em ambientes de negócios regulados é fundamental que os controles estejam em conformidade com a legislação. A outra contribuição é ter artefatos de software para apoiar a excelência operacional dos processos de negócio. Atendendo esses dois requisitos a TI garante a operação da empresa e sua competitividade no mercado. Assumindo a premissa que nenhuma empresa é sustentável sem inovação, a TI deve apoiar o desenvolvimento de novos produtos e modelos de negócios disruptivos para saltos de crescimento e competitividade.

O primeiro passo em rumo da inovação é quebrar o paradigma que a TI é uma organização tático operacional. Essa visão drena a maior parte dos recursos para a manutenção dos sistemas e infraestrutura de TI. Essa estratégia, no máximo, garante um processo de inovação incremental que não gera grandes saltos de competitividade e crescimento.

Empresas que adotam a estratégia de inovação incremental apenas seguem os líderes do setor que atua. Para se tornarem líderes e impulsionar, significativamente, seu crescimento devem desenvolver produtos e modelos de negócios disruptivos.

Como a TI pode ajudar?

Negociando com as áreas de negócios o uso de softwares como serviços para os processos que a empresa “tem que ter” (por exemplo, o SPED fiscal e Social) e dos processos operacionais de práticas conhecidas e adotadas pelo mercado com “excelência operacional”. Concentrar os recursos de TI na “experimentação” de novos produtos e serviços da empresa. Aqueles projetos que se mostrarem viável e “disruptivos” servirão para a empresa dar um grande salto de competitividade e crescimento.

figura-estrategia-de-ti-para-negocios-disruptivos-v61

Adotar Software como Serviços (SaaS – Software as a Services), se bem selecionado, garante conformidade com a legislação e uso das melhores práticas de negócios. Esses softwares contemplam as regras de negócios desenvolvidas por especialistas e testadas em várias empresas, incluindo os competidores da empresa.

Existem várias vantagens, destacando: redução do número de especialistas de processos; reduz o impacto da rotatividade de pessoal; assegura a implantação de novas normas regulatórias dentro dos prazos legais; adota práticas de melhoria contínua oferecidas pelo software, garantido o nível de competitividade no mercado; atualização tecnológica sob a responsabilidade do fornecedor; vantagens tributárias pela contratação como serviço, entre outras.

A simples adoção do SaaS com o mínimo de ajustes possível garante a conformidade e competitividade da empresa. Desta forma, é possível liberar recursos para desenvolver projetos de inovação e buscar estratégias marcantes que irão impulsionar o crescimento da empresa.

Em uma estratégia de TI orientada a inovação disruptiva, a equipe de analistas de sistemas e programadores estarão focados no desenvolvimento de projetos experimentais e softwares para processos críticos e marcantes para a empresa. Obvio, que isso requer a introdução de novos conceitos, novas técnicas de definição de requisitos de sistemas, novas metodologias de desenvolvimento de sistemas e fortes conhecimentos de negócios do pessoal de TI. Em outras palavras, uma nova TI.

Algumas dessas estratégicas marcantes e inovadoras poderão se tornar o “core business” da empresa. Por exemplo, a Amazon.com desenvolveu práticas inovadoras de centros de distribuição para o seu negócio. Hoje, ela vende essa estrutura para lojas virtuais de concorrentes. Para apoiar o seu negócio foi necessário criar uma gigantesca infraestrutura de TI que, hoje, tornou-se um negócio independente e lucrativo.

Deixe uma resposta