Na crise a inovação é o bote salva-vidas das empresas

Os economistas preveem que 2015 será um ano ainda mais difícil para a nossa economia e, consequentemente, para as empresas. Vários sinais mostram que essa previsão deve se realizar: aumento da inflação, alta dos juros, crise no setor automobilístico, controle artificial de preços pelo governo, entre outros.

Para os executivos mais experientes, o remédio para crises já existe: corte de pessoal, redução de margens de vendas, corte nos investimentos, renegociação dos contratos de serviços essenciais e cancelamento de outros serviços. Se a crise se prolongar, fechamento de filiais e fábricas poderá ser a saída.

Empresas com este perfil admitem enfrentar as crises econômicas com baixos crescimentos nos negócios. A justificativa, que protege os executivos, é que eles estão seguindo a cartilha da crise.

Poucos são os executivos que aceitam assumir riscos para introduzir novos produtos e serviços para explorar novos mercados.

Entretanto, não vejo outra saída para o cenário econômico do próximo ano. Notem que soluções inovadoras não significam desenvolver produtos ou serviços totalmente novos, a adoção de um novo modelo de negócios pode atender as expectativas de crescimento.

Para que as soluções inovadoras estejam no mercado em 2015, o planejamento deve começar imediatamente. Forme uma equipe com diversidade cultural e social para discutir novas soluções de negócios. Convide seus principais fornecedores e clientes para colaborar com ideias. Nas reuniões de equipe esqueça a hierarquia da organização para não inibir as pessoas de darem suas opiniões. Estruture as ideias, eleja as melhores e desenvolva um modelo de negócios rápido para cada uma delas. Aprove as melhores.

Até aqui foi fácil, pois só envolveu planejamento. A próxima fase é a mais difícil e que pode resultar no sucesso ou fracasso dos projetos: a execução.

Selecione bons líderes para comandar a implementação dos projetos. Monitore constantemente a evolução dos projetos e faça os ajustes necessários em pequenos ciclos de desenvolvimento. Implante os projetos para grupos selecionados de clientes antes da massificação do produto ou serviço.

Ainda dá tempo para crescer em 2015. Boa sorte.

Deixe um comentário