Quer inovar? Aprenda as principais etapas

A inovação é um processo em que a criatividade é apenas uma das etapas, sendo que as demais requerem essencialmente processo e disciplina. Um programa de inovação deve incluir no mínimo cinco fases: educação; criatividade e engajamento do pessoal; planejamento; execução e avaliação dos resultados.

Inovação é a palavra da moda. A maioria das empresas a tem como parte de sua missão e metas organizacionais e desafiam os funcionários a inovar. Mas inovar “o que”? A inovação pode ser fazer mais com menos; desenvolver produtos ou serviços; atuar em um novo mercado com produtos totalmente diferentes dos atuais; introduzir tecnologias disruptivas ou acertar novas estratégia de marketing.

Para tirar essas dúvidas, o primeiro passo na implantação de um programa de inovação é o treinamento. Todos devem entender o significado da inovação e aprender a identificar oportunidades para novos projetos. O treinamento deve incluir técnicas para explorar a criatividade das pessoas, técnicas analíticas e modelos de gestão de processos e negócios.

A segunda etapa é criar um ambiente organizacional que permita explorar a criatividade das pessoas, incluindo funcionários, fornecedores e clientes. Deve ser implantado um sistema colaborativo para as pessoas enviarem sugestões de melhorias e ideias. O objetivo, nessa etapa, é criar um ambiente onde as pessoas não sejam penalizadas pelo erro na tentativa de inovar. Isso motiva o engajamento e fomenta a inovação.

A terceira etapa é o processo de inovação em si, a hora de transpirar para desenvolver novos modelos de negócios, produtos ou serviços inovadores a partir das ideias e objetivos traçados. Nesta fase, são usadas técnicas e modelos de gestão para redefinir atributos de produtos e transformar tecnologia em algo útil e simples de ser usado pelas pessoas.

A quarta etapa, talvez a mais importante, é a execução. Aqui devem ser empregadas técnicas de gestão de portfólio de projetos para garantir o controle e a disponibilidade de recursos para executar as atividades dos projetos. Minha experiência mostra que a execução perfeita dependente de uma forte liderança.

Por último, a avaliação geral para discutir os resultados e aprender com os erros. Um equívoco comum nas avaliações de projetos inovadores é usar as mesmas métricas de desempenho de outros negócios da empresa. É preciso ter em mente que inovar implica em novos critérios de negócios, logo, o sucesso do projeto depende de outros parâmetros.

Ah, e não se esqueça: o espírito inovador parte de boas ideias geradas por pessoas que estão felizes em seus empregos.

Deixe um comentário