PMEs avançam em eficiência operacional com ERPs na nuvem

O ERP baseado em nuvem está se tornando popular pelo baixo custo de implantação levando excelência operacional para as PMEs (pequenas e médias empresas). As grandes empresas ainda mantem seus ERPs no modelo on-premises (auto hospedado em datacenter próprio). Segundo o (Gartner, 2020), o SAP s/4HANA Multi-Tenant Edition Cloud representa apenas 5% dos grandes clientes da SAP, ou seja, 95% das grandes empresas ainda utilizam o modelo on-premises. Isto abre uma enorme oportunidade para as PMEs oferecerem produtos com preços mais competitivos do que as grandes empresas, somando-se a uma estrutura mais enxuta e modelos de negócios mais flexíveis e escaláveis. As startups são as mais beneficiadas com os ERPs na nuvem, pois conseguem implantar processos operacionais eficientes, sem grandes investimentos iniciais e gastos compatíveis com suas receitas, permitindo ter foco no seu negócio principal.

Segundo o relatório de mercado de software ERP Software Industry Outlook – Forecast (2020-2025) da (IndustryARC, 2020), o mercado global de ERP de atingir US$48,21 bilhões em 2025, crescendo a uma taxa composta anual de crescimento (CAGR) de 7,88% durante 2020-2025. Segundo o relatório, em 2018 a penetração mundial de softwares de ERP era baixa em empresas nas PMEs devido aos altos custos de implementação. Com o advento dos ERPs baseados em nuvem os custos estão diminuindo continuamente e é esperado um crescimento de 40% até 2025, entre as PMEs.

As indústrias de processo e manufatura estão seguindo o caminho da IoT industrial para melhorar a eficiência operacional, o que resultará na geração de uma grande quantidade de dados e terá um impacto positivo no mercado de software ERP. O mercado de IoT industrial deve atingir US$ 100 bilhões em 2025, crescendo a uma CAGR de 18,56% durante 2020-2025, segundo o relatório da (IndustryARC, 2020). Nesta perspectiva, soluções com Big Data e inteligência artificial para a indústria são importantes para aumentar a eficiência operacional dos negócios.

Segundo o (Gartner, 2020), em 2022, 30% das grandes empresas terão migrado para uma abordagem centrada no produto, com recursos dos ERPs padronizados para o seu negócio. O Gartner define um pacote de ERP em nuvem centrado no produto como um conjunto de produtos fracamente acoplados para a gestão da cadeia de suprimentos e funcionalidade relacionada à manufatura, funcionalidades de gerenciamento financeiro, compras, gerenciamento de custos e módulos especializados, como produção sob pedido e gerenciamento de serviços de campo.

Dentro do segmento de ERPs centrados no produto em nuvem, o (Gartner, 2020) cita nove produtos: Oracle (ERP Cloud); Infor (CloudSuite); Microsoft (Dynamics 365); Epicor Software; IFS; Oracle (NetSuite ERP); QAD; Acumatica; e, Plex Systems. Um forte fornecedor na América do Sul é a brasileira Tovts.

A expectativa é que a pandemia da Covid-19 acelere as implantações de ERPs na nuvem, pois as empresas, principalmente as PMEs, devem buscar soluções mais eficientes e de baixo custo para apoiar suas operações e, prováveis, novos modelos de negócios.

Projetos de migração de plataforma são complexos e caros. A tomada de decisão de migração deve estar apoiado no retorno do investimento (ROI) e fatores de risco. Uma grande instalação de ERP, certamente implica em uma grande quantidade de customizações ao longo dos anos, o que torna a estratégia de migração para a nuvem complexa e única para cada empresa. Um dos pontos mais levantados pelos CIOs é a complexidade da sua arquitetura de TI que sem um planejamento minucioso eleva os riscos de migração. Obviamente, que a decisão não pode ficar na subjetividade, cada empresa de elaborar um estudo detalhado para avaliar as vantagens e riscos da migração para a nuvem, principalmente empresas de capital aberto, que devem garantir a melhor eficiência a custos baixos para seus acionistas.

Outra vantagem da migração e adoção de ERPs em nuvem para as PMEs e startups e a pequena estrutura organizacional de suporte ao ERP, ao contrário de estruturas organizacionais de ERPs on-premise. Em um ambiente em nuvem, toda a infraestrutura de datacenter, ambiente de software, correções de software, upgrades de versões, adequações a novas legislações entre outras, são de responsabilidade do provedor de serviços. A equipe da empresa fica encarrega da gestão e atendimento aos usuários internos.

Entretanto, é essencial que a empresa se detenha nas configurações parametrizáveis do software, evitando desenvolvimentos próprios de adequação dos processos internos da empresa. Lembrando, que os ERPs são para levar excelência operacional as empresas e reduzir custos. A não ser que um desenvolvimento interno prove que tenha um impacto significativo na eficiência nas operações da empresa, ele deve ser evitado.

Outro ponto a destacar é que a implementação de um ERP na nuvem não é, necessariamente, um projeto de transformação digital, e sim uma automatização e integração de processos, em que geralmente não traz uma vantagem competitiva para a empresa, apenas melhora sua eficiência operacional. Se os processos de negócios da empresa não são competitivos, o ERP irá refletir a ineficiência. Para aproveitar o investimento da migração para um ERP na nuvem é importante associá-lo a outros projetos de transformação digital.

Nas análises de retorno de investimento, é necessário adotar o conceito de TCO (Total Cost Ownership), ou seja, considerar todos os custos envolvidos no processo, como por exemplo, o custo dos funcionários parados ou com baixa produtividade devido a paralizações ou lentidão do atual sistema de gestão. Deixar de considerar estes aspectos acabam distorcendo as análises e, muitas vezes, inviabilizando projetos de adoção de novas tecnologias.

A pandemia do Covid-19 nos trouxe um novo normal e devemos reagir frentes aos novos desafios dos negócios. Adotar novas tecnologias e abordagens estratégicas fazem parte deste contexto.

Referências

Gartner. (22 de junho de 2020). Magic Quadrant for Cloud ERP for Product-Centric Enterprises. Fonte: Gartner: https://www.gartner.com/doc/reprints?id=1-6I4O262&ct=190409&st=sb&aliId=eyJpIjoiSHRKTnFRUUszZFFpbmVTQiIsInQiOiJhbk9Ib0N3NkY3TnFHcWdPcktEVG9RPT0ifQ%253D%253D

IndustryARC. (2020). ERP Software Market – Industry Analysis, Market Size, Share, Trends, Application Analysis, Growth And Forecast 2020 – 2025. Fonte: IndustryARC: https://www.industryarc.com/Research/ERP-Software-Market-Research-502166

Deixe uma resposta