Poderá a Microsoft com o Linkedin dominar o mercado virtual de trabalho?

Os negócios virtuais estão em processo de transformação com as novas tecnologias para a Indústria 4.0, computação cognitiva e blockchain, deixando para trás o velho comércio eletrônico de mais 20 anos.

A Indústria 4.0 usa sistemas cyber-physical, permitindo a automação de fábricas para produzir objetos personalizados, além de monitorar e controlar veículos autônomos, acompanhamento médico individual, otimização de processos através do aprendizado das máquinas (Machine Learning), entre outras aplicações usando Internet das Coisas (IoT), impressoras 3D, Big Data e Analytics. A computação cognitiva simula o pensamento humano em um modelo computadorizado, envolvendo análises avançadas de dados, reconhecimento de padrões e processamento de linguagem natural. O blockchain é visto atualmente apenas como uma inovação técnica do bitcoin, porém seu potencial é muito maior. O blockchain é uma cadeia de blocos que mantém registros de blocos anterior permitindo a validação de transações.

Essas novas tecnologias trazem um enorme impacto na forma de trabalho. Imagine um engenheiro definindo um novo produto em um ambiente virtual, enviando as informações para a manufatura desse produto, através de uma infraestrutura usando blockchain, para uma fábrica totalmente automatizada com sistemas cyber-physical, com processos automatizados e controlados por computação cognitiva e pagando com bitcoins.

Obviamente, existem vários desafios para a materialização desse cenário de negócio. O primeiro é a construção de fábricas automatizadas com sistemas cyber-physical. O segundo desafio é qualificar os trabalhadores em ferramentas para operarem nesse novo ambiente tecnológico. O terceiro desafio é tornar os produtos acessíveis para a maioria das pessoas, com qualidade e preço justo.

Agora imagine oferecer ferramentas, algumas gratuitas, para mais de 433 milhões de profissionais com perfis publicados em uma grande base de dados, permitindo que essas pessoas consigam trabalhar remotamente para empresas dentro de um novo cenário de negócios.

O Microsoft Office é utilizado atualmente por mais de 1,2 bilhão de usuários. Agora imagine conhecer o perfil e incentivar mais de 433 milhões de profissionais a usarem a família de produtos da Microsoft, tais como Skype, MS-Project, Big Data, plataforma de IoT entre outros no ambiente de computação em nuvem Azure.

Acho que US$26,2 bilhões gastos pela Microsoft para a compra do Linkedin foi razoável, se ela tiver a capacidade de ser protagonista no novo cenário de negócios.

Deixe uma resposta