Os CEOs devem assumir o papel dos CIOs

Esse vídeo argumenta a proposta de transferir para os CEOs (Chief Executive Officer) o papel estratégico dos CIOs (Chief Information Officer). Um estudo da IBM com CEOs em todo o mundo mostrou que a tecnologia está no topo das atenções. Pressionados pela inovação, os CEOs concentram a atenção nos clientes e em formar uma organização mais colaborativa. A busca pela inovação externa e a entrada em mercados totalmente diferentes são citados pela maioria dos entrevistados. A tecnologia é parte fundamental nesse processo de transformação das organizações. Desta forma, os CEOs devem se envolver mais nos assuntos de tecnologia e assumir a responsabilidade direta por suas estratégias.

Os CIOs que nas organizações tradições têm o papel de definir a estratégia da tecnologia da informação, na maior parte das organizações assume o atividades tático-operacionais.  Na maioria das organizações os CIOs estão subordinados a diretorias de finanças ou de assuntos corporativos, reduzindo seu poder de influência dentro da organização. Dentro desse contexto, as estratégias de negócios integradas com a tecnologia podem ficar prejudicadas.

Dentro de um cenário onde o CEO tem a responsabilidade pela tecnologia, as barreiras organizacionais são naturalmente eliminadas e a velocidade de implantação de novas tecnologia são mais rápidas.

Numa proposta de organização, cada diretoria funcional teria um gerente de TI se reportando diretamente ao diretor funcional. A diretoria de novos negócios seria responsável pela inteligência de negócios (BI) e Big Data. Seria criada uma diretoria de tecnologia, exclusivamente para tratar de assuntos de infraestrutura de TI com um CTO (Chief Technology Officer).

O que fazer com os atuais CIOs? Eles são candidatos naturais a assumir a diretoria de novos negócios ou ser assessor direto do CEO em uma fase de transição organizacional.

Essa proposta de organização cria maior sinergia e eficiência organizacional, facilita a introdução de projetos de inovação, quebra as barreiras organizacionais e oferece um salto de competitividade.

Deixe uma resposta